Linha de separação


24 de novembro de 2017

Coitados dos pobrezinhos

Foi disto que a CIP se foi queixar a Bruxelas
Está desfeito um dos tabus alimentados pelo Governo e pelo PS nas últimas semanas. Depois de ter evitado o tema a todo o custo, o PS acabou a aprovar o agravamento do IRC para as grandes empresas, acompanhando as propostas do Bloco de Esquerda e do PCP. As contas do Governo apontam para mais 70 milhões de euros de receita, já com impacto em 2018 por via do reforço dos pagamentos por conta destas entidades. 

Mais provocações

A Coreia do Norte não escondeu a sua indignação com os Estados Unidos na quarta-feira por recolocarem Pyongyang como um Estado patrocinador do terrorismo, afirmando que a atitude de Washington é uma "séria provocação".
O porta-voz norte-coreano do Ministério de Relações Exteriores disse à comunicação sociall que Pyongyang continuaria a fortalecer sua força de dissuasão contra a política hostil do governo dos EUA.
A Coreia do Norte disse que reaparecer  numa lista dos EUA de países que apoiam o terrorismo é "uma séria provocação "

22 de novembro de 2017

Uma biografia


Chega aos leitores de língua portuguesa a monumental biografia intelectual de Vladímir Ilitch Uliánov, vulgo Lênin. Escrita pelo estudioso húngaro Tamás Krausz, a obra de mais de 600 páginas é resultado de quatro décadas de pesquisas e venceu o Deutscher Memorial Prize, um dos mais respeitáveis prêmios para a produção intelectual marxista na atualidade. Elogiada por estudiosos do calibre de István Mészáros e José Paulo Netto, a vem acrescida de uma extensa cronologia da Rússia revolucionária e uma rica seção com esboços biográficos, além de um belo caderno de imagens. Leia abaixo o texto de orelha do livro, escrito por Valério Arcary.
* * *
O livro que a Boitempo  Brasil-nos presenteia já nasceu como uma referência para os estudos de Lênin. Em um estilo claro e direto, Reconstruindo Lênin apresenta de forma honesta e rigorosa uma elaboração intelectual revolucionária entre as mais complexas. A investigação de Tamás Krausz fascina, surpreende e, às vezes, perturba. Venceu o Deutscher Memorial Prize em 2015, prêmio literário atribuído todos os anos em Londres ao livro considerado pelo júri “o melhor e mais inovador sobre a tradição marxista”.
Uma biografia intelectual de Lênin era um desafio colossal, até mesmo demolidor. Biografias colocam o autor diante de dois riscos abismais: apequenar ou agigantar o personagem para além de si mesmo. Um marxista sério não poderia diminuir o significado da obra de Lênin. Mas o perigo hagiográfico era grande: celebrar virtudes heroicas inalcançáveis e semear cultos à personalidade. Quarenta anos de leituras de uma obra monumental protegeram Tamás Krausz de desequilíbrios.
A união de contextualizações inspiradas e explicações de polêmicas sempre vibrantes – não poucas vezes ásperas – captura a atenção do leitor. O livro responde ao problema central de uma biografia intelectual: qualitativamente, o pensamento de Lênin pode ser considerado um desenvolvimento original do marxismo? Em outras palavras, podemos dizer que o leninismo é mais do que uma corrente do marxismo russo?
O leitor descobrirá que Tamás Krausz nos introduz ao âmago do método de Lênin. Trata-se de uma interpretação vigorosa de um marxismo revolucionário aberto, não dogmático, porque é crítico sem ser doutrinário. A pesquisa sistemática do autor nos revela a grandeza da atualização do marxismo realizada por Lênin em sua vitalidade integral, unindo teoria e política. A teoria aparece indivisível do programa; o programa, inseparável da estratégia; e a estratégia, indissociável da tática. Tamás Krausz convida todos os leitores, pesquisadores ou ativistas, a revalorizar o legado leninista no século XXI.
Valério Arcary

A Absolescência Programada

Os que estão preocupados com a saude do Planeta nossa casa comum e que lutam contra as diversas formas de poluição por que não lutam contra a obsolescência programada ? Das capital.
Não raras vezes as empresas fazem acordos - cartel-  e, com os  profissionais de marketing , introduzem deliberadamente a obsolescência na sua estratégia de venda do produto, com o objetivo de gerar um volume de vendas duradouro reduzindo o tempo entre compras sucessivas. Um exemplo poderia ser o de uma máquina de lavar roupa, que é deliberadamente projetada para deixar de funcionar cinco anos após a compra, obrigando os consumidores a comprar outra máquina para os próximos cinco anos . O mesmo se passa com as lâmpadas  ,material informático ...É preciso vender , obter lucro ... Não se trata de satisfazer as necessidades das pessoas , mas de  obrigá-las a comprar , a poluir o planeta

Há 100 anos

Dedicado a todos os cretinos e cretinas anticomunistas .cIl y a cent ans, les Bolcheviks, Lénine à leur tête, prenaient le pouvoir en Russie.
Il y a cent ans, les Bolcheviks, Lénine à leur tête, prenaient le pouvoir en Russie. Cette révolution populaire allait changer le cours du pays, et du monde, pour les décennies à venir. Le premier pouvoir ouvrier au monde était né, et il entendait marquer les esprits dès le début. 
Les premiers décrets, approuvés par le Congrès des Soviets, ne tardaient pas à être promulgués. Le premier d’entre eux concernait la guerre qui faisait rage en Europe depuis 1914 ; par le décret sur la paix, la nouvelle Russie cessait les hostilités avec l’Allemagne. S’en suivaient les décrets distribuant la terre aux paysans, nationalisant les industries, et déclarant la « souveraineté des peuples de Russie ».
Il ne sera pas ici question de revenir sur toute l’Histoire de l’URSS, mais de se concentrer sur trois points, qui ont marqué l’histoire de l’URSS et qui sont trop souvent oubliés, à savoir que la révolution russe fut aussi une révolution féministe, que l’URSS a grandement contribué à la victoire sur le fascisme durant la seconde guerre mondiale, enfin qu’elle aura été d’une aide généreuse envers les mouvements de libération nationale et les pays progressistes.
  •  Une révolution féministe
Cette révolution ouvrière et socialiste fut aussi à tout égard une révolution féministe, à une époque où l’inégalité entre hommes et femmes était monnaie courante. Le 8 mars 1921 Lénine décrétait, en hommage aux ouvrières de Saint-Pétersbourg, la journée internationale de la femme, mondialement célébrée aujourd’hui.

Direita não comenta


PSD , CDS e Marques Mendes até agora evitam comentar...uma forma de desvalorizar

A dívida pública, na óptica de Maastricht, desceu em Setembro para 130,9% do produto interno bruto (PIB), revelam os dados divulgados esta quarta-feira, 22 de Novembro, pelo Banco de Portugal. A queda foi pronunciada, já que em Junho a dívida estava nos 132,1% do PIB.

A contribuir para esta evolução estiveram dois factores. A redução efectiva da dívida em termos nominais e o crescimento da economia.

21 de novembro de 2017

Prostíbulos do Capitalismo



Emir Sader
Los mal llamados paraísos fiscales funcionan como prostíbulos del capitalismo. Se hacen allí los negocios turbios, que no pueden ser confesados públicamente, pero que son indispensables para el funcionamiento del sistema. Como los prostíbulos en la sociedad tradicional.
Conforme se acumulan las denuncias y las listas de los personajes y empresas que tienen cuentas en esos lugares, nos damos cuenta del papel central y no apenas marginal que ellos tienen en la economía mundial. “No se trata de “islas” en el sentido económico, sino de una red sistémica de territorios que escapan a las jurisdicciones nacionales, permitiendo que el conjunto de los grandes flujos financieros mundiales rehuya de sus obligaciones fiscales, escondiendo los orígenes de los recursos o enmascarando su destino.” (La era del capital improductivo, Ladislau Dowbor, Ed. Autonomia Literaria, Sao Paulo, 2017, pag. 83).
Todos los grandes grupos financieros mundiales y los más grandes grupos económicos en general están tienen hoy filiales o incluso casas matrices en paraísos fiscales. Esa extraterritorialidad (offshore) constituye una dimensión de prácticamente todas las actividades económicas de los gigantes corporativos, constituyendo una amplia cámara mundial de compensaciones, donde los distintos flujos financieros ingresan a la zona del secreto , del impuesto cero o algo equivalente y de libertad con respecto a cualquier control efectivo.
En los paraísos fiscales los recursos son reconvertidos en usos diversos, traspasados a empresas con nombres y nacionalidades distintas, lavados y formalmente limpios. No es que todo se vuelva secreto, sino que con la fragmentación del flujo financiero, el conjunto del sistema lo vuelve opaco.
Hay iniciativas para controlar en parte a ese flujo monstruoso de recursos, pero el sistema financiero es global, mientras las leyes son nacionales y no hay un sistema de gobierno mundial. Asimismo, si se puede ganar más invirtiendo en productos financieros, y encima sin pagar impuestos, es un negocio redondo. 
“El sistema offshore creció con metástasis en todo el globo, y surgió un poderoso ejército de abogados, contadores y banqueros para hacer que el sistema funcione... En realidad, el sistema raramente agrega algún valor. Al contrario, está redistribuyendo la riqueza hacia arriba y los riesgos hacia abajo y generando una nueva estufa global para el crimen.” (Treasured Islands: Uncovering the Damage of Offshore Banking and Tax Havens, Shaxon, Nicholas. St. Martin’s Press, Nueva York, 2011). 
El tema de los impuestos es central. Las ganancias son offshore, donde escapan de los impuestos, pero los costos, el pago de los intereses, son onshore, donde son deducidos los impuestos .La mayor parte de las actividades es legal. No es ilegal tener una cuenta en las Islas Caimán. “La gran corrupción genera sus propia legalidad, que pasa por la apropiación de la política, proceso que Shaxson llama de `captura del Estado’”(Dowbor, pag. 86). 
Se trata de una corrupción sistémica. A corrupción involucra a especialistas que abusan del bien común, en secreto y con impunidad, minando a las reglas y los sistemas que promueven el interés publico, en secreto y con impunidad, y minando nuestra confianza en las reglas y sistemas existentes, intensificando la pobreza y la desigualdad. 
La base de la ley de las corporaciones e, de las sociedades anónimas, es que el anonimato  de la propiedad y el derecho a ser tratadas como personas jurídicas , pudiendo declarar su sede legal donde quieran e independiente del local efectivo de sus actividades, tendría como contrapeso la trasparencia de las cuentas.” (Dowbor, pag. 86) Las coimas contaminan y corrompen a los gobiernos, y los paraísos fiscales corrompen al sistema financiero global. Se ha creado un sistema que vuelve inviable cualquier control jurídico y penal de la criminalidad bancaria. Las corporaciones constituyen un Poder Judicial paralelo que les permite incluso procesar a los Estados, a partir de su propio aparato jurídico.
The Economist calcula que en los paraísos fiscales se encuentran 20 trillones de dólares, ubicando a las principales plazas financieras que dirigen estos recursos en el estado norteamericano de Delaware y en Londres. Las islas sirven así como localización legal y de protección en términos de jurisdicción y domicilio fiscal, pero la gestión es realizada por los grandes bancos. Se trata de un gigantesco drenaje que permite que los ciclos financieros queden resguardados de las informaciones. 

20 de novembro de 2017

O Ventríloco de Marcelo

As aldrabices do ventríloco, Marques Mendes :

"No início da semana, Centeno disse publicamente que é urgente começar a reduzir a dívida porque, mais dia, menos dia, a taxa de juro vai subir e isso nos vai penalizar. Afirmações certeiras.
"Mas acabou a semana a agravar o défice para 2018. De 1% para 1,1%. Ou seja, agravando o défice, aumenta a dívida. É mais dinheiro que o país tem de pedir emprestado. E são mais juros que Portugal tem de pagar."
"Se, em tempo de "vacas gordas" não fazemos um esforço para reduzir fortemente a dívida, quando é que a vamos baixar? E não se diga que o agravamento do défice é por uma boa causa (o apoio à reconstrução devido aos incêndios). Certamente que sim. Mas governar é fazer escolhas. E, para aumentar uma despesa, devia haver a coragem de reduzir outra noutro sector."
Ai sim ? Por que não defendeu o mesmo o Ventríloco com os bancos , com o caso do Banif ?
O PS fez agora uma proposta na especialidade de redução do IRC para a banca para resolver o crédito mal parado que vai agravar o défice. Será que Marques Mendes vai estar contra , será que o PSD vai votar contra ?
Procurando por trabalhadores contra trabalhadores a Voz do PSD e do Marcelo continua :

"O descongelamento das carreiras na função pública, depois das reposições de salários e de pensões, leva muita gente legitimamente a perguntar: mas acabou mesmo a austeridade? E a minha resposta é: acabou para alguns, os funcionários públicos e os que vivem dependentes do Estado; mas não acabou para todos os trabalhadores do sector privado."
Os portugueses ficam a saber o que lhes acontecia se a direita estivesse no governo : nem reposição de direitos e rendimentos para os trabalhadores da funçap pública , nem para os privados .
Na mesma lógica se pode dizer que para o crédito mal parado dsa banca vai haver redução do IRC mas para o crédito mal parado das outras empresas nada .

"Banca vai abater 5 mil milhões ao IRC nos próximos 19 anos 



Entre as mais de uma centena de propostas de alteração ao orçamento do Estado apresentadas pelo PS aparece uma para resolver um problema politicamente delicado que se arrastava há meses, relativamente ao tratamento fiscal das imparidades da banca " Negócios hoje

19 de novembro de 2017

A Venezuela e as empresas de rating


Enquanto a Standard & Poors baixou a classificação da dívida da Venezuela, a Rússia prestou ajuda ao país, que enfrenta graves dificuldades económicas aceitou reestruturar a sua dívida e concedeu novas linhas de financiamento.
"Isso acontece no meio da luta das grandes potências europeias e dos Estados Unidos pelo controle das reservas de petróleo venezuelanas. Não aceitam que na Venezuela haja um governo popular, socialista e nacionalista no que tange ao uso dos recursos naturais. Criaram uma estratégia para desinformar o mundo sobre o que se passa aqui", disse Fernando Travieso, membro da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, integrante da comissão da Economia e da subcomissão de Petróleo.

15 de novembro de 2017

Cendrillon !

Como vender se os salários pouco aumentam ? 
Aumentar ainda mais o crédito fácil ? Mas isto tem limites .
A industria de luxo na terra de Trump resolveu fazer dinheiro alugando produtos de luxo ao dia !. Para  já começaram com o aluguer de sacos e malas de mão .
A coisa parece que está com sucesso e os especialistas de marketing  já lhe deram um nome Cendrillon
https://www.youtube.com/watch?v=QA4b_e9L7MI

O grande especialista


A avaliar pelas suas crónicas no Expresso , Sousa Tavares deve ser o único especialista português  sobre o" Défice Estrutural"- défice a médio prazo perto do equilíbrio -e  sobre o PIB potencial , coisas tão objectivas que O FMI, a OCE  e a Comissão Europeia chegam a resultados diferentes .
Numa nota interna  Moscovici afirmava " que ninguém sabe o que é o PIB potencial "!
Para se calcular o défice estrutural tem que se calcular o PIB potencial e para se calcular o PIB potencial tem que se estimar . a produtividade , as horas trabalhadas , a população activa ...o que permite a Bruxelas a discricionariedade para , por exemplo , em relação ao governo Italiano  pró - europeu , fechar os olhos ao défice deste ano com o argumento de que o défice estrutural está em linha... No caso de governos a abater a posição é, como se tem visto,  a contrária..

Significado de Discricionariedade para a Comissão Europeia :

É uma pequena liberdade concedida aos administradores públicos, para agirem de acordo com o que julgam conveniente e oportuno diante de determinada situação


Resposta ao cuco do Marques Mendes

O disfarçado porta voz de Marcelo na SIC , disse que este governo era " Chapa ganha chapa gasta ". Será que este comentador do PSD e cuco do PR desconhece o saldo primário verificado no ano passado e o previsto para este ano ?
E que diz agora ao comunicado da UTAU ? E o que diz a cabotina da Teodósia Cardoso ?
" O Governo só gastou 20% da almofada financeira ."
Na nota sobre a execução orçamental em contas públicas até Setembro , a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) indica que, dos 968,6 milhões de euros da almofada financeira de segurança estimada para 2017, o Governo usou 180,6 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano.

Resposta à pressão alemã



Numa conferência organizada pelo BCE sobre a política de comunicação dos bancos centrais, Draghi disse que a orientação sobre o futuro da política monetária, que o banco pôs em prática pela primeira vez em 2013, funcionou para dirigir as expectativas dos mercados.

"A orientação futura converteu-se num instrumento completo da política monetária", afirmou.

O líder do BCE considerou que é "difícil dizer" se a instituição vai continuar a usar essa ferramenta, mesmo depois de uma eventual mudança da sua política monetária e de uma subida das taxas de juro, mas defendeu essa continuação.

"Até agora tem sido uma experiência com êxito pelo que creio que vamos continuar", afirmou, explicando que não vê motivo para se descartar um instrumento de política monetária "que tem demonstrado a sua eficiência"

Quem provoca quem ?

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre  para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
As autoridades norte-coreanas classificaram   a deslocação sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia com uma "postura de ataque". O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou numa carta enviada ao secretário-geral da ONU os protestos do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão a criar "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores"

Licornes



Attention à la bulle des licornes !
Etienne Henri
Après les tulipes, les licornes. 400 ans après la tulipomanie néerlandaise, ce sont les valeurs des nouvelles technologies américaines qui connaissent un engouement difficilement justifiable.
Vous n'avez pas pu échapper à la nouvelle : la capitalisation d'Apple vient de dépasser les 900 milliards de dollars. Cette somme représente plus de la moitié de la capitalisation totale du CAC 40.
La firme californienne semble bien partie pour franchir le cap des 1 000 milliards de dollars de valorisation, un montant si élevé qu'il devient difficile à appréhender.
Si Apple reste sagement évaluée en terme de ratios, ceux de Facebook et Amazon sont du jamais vu et défient l'entendement...
Pourtant, ce n'est pas sur la valorisation des GAFAM (Google, Apple, Facebook, Amazon et Microsoft) que nous allons nous concentrer aujourd'hui.
Une autre bulle menace les valeurs technologiques. Moins médiatique que le prix des Blue Chips, elle mobilise toutefois des encours considérables qui risquent de se volatiliser d'ici quelques mois.

11 de novembro de 2017

E ninguém é responsabilizado ?

Graças à CGD


A dívida da Artlant aumentou 10% nos últimos três anos. Os activos da unidade fabril vão ser vendidos numa altura em que o total de créditos reconhecidos supera os 760 milhões de euros, face aos 690 milhões em 2014. O número avançou sobretudo graças à Caixa Geral de Depósitos, a maior credora, que foi assegurando a sua manutenção e liderando as negociações com o comprador.

Com todas as dificuldades advindas desde a sua construção, iniciada em 2007, a fábrica de petroquímica do grupo La Seda de Barcelona, de que a CGD foi accionista, pediu a entrada num Processo Especial de Revitalização em 2014. Três anos depois, veio a insolvência, já que os pressupostos daquele plano de recuperação não foram cumpridos.
No caso do banco público, todo este montante está reconhecido como perdido – foram constituídas imparidades ao longo dos anos, cobrindo as perdas que se antevia que aí vinham. Ou seja, ao longo dos últimos anos, a Artlant já foi penalizando os resultados da instituição financeira, tal como a La Seda, de que a CGD era accionista e cuja participação está, há anos, reconhecida como perdida. O dossiê começou na administração de Carlos Santos Ferreira, mas a inauguração acontece já com Fernando Faria de Oliveira à frente do banco. O PER ocorre com José de Matos à frente da CGD, tendo passado depois por António Domingues e Paulo Macedo.  NEGÓCIOS hoje

O representante dos usurários


Dizem que João Vieira Lopes é Presidente da Confederação do Comércio
e Serviços de Portugal.
Será ?
 Não será da Associação Portuguesa de Bancos ?
Este senhor que critica o aumento dos trabalhadores da Função Pública e o aumento do salário mínimo ainda não percebeu que o alargamento do mercado interno é  a maior alavanca à dinamização do comércio ?  Desejava uma diminuição do imposto sobre os lucros (IRC), reivindicação das EDPs cá do sítio , mas não da esmagadora maioria dos comerciantes deste país .
Como um papagaio amestrado pela direita ,João Vieira Lopes diz que este Orçamento de Estado não é amigo das empresas ! 
O Orçamento de Estado é  amigo das empresas e dos trabalhadores  não será é tão amigo , como a direita gostaria , dos grandes accionistas , da parasitocracia e dos que enriquecem dormindo. Acordam no dia seguinte e estão mais ricos!

10 de novembro de 2017

Magnífico Reitor- não havia necessidade


PERPLEXIDADES - Agostinho. Lopes
Porquê, Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra, a fraca causa de atribuir o Honoris Causa a Jean-Claude Juncker, Presidente da Comissão Europeia? Porquê? Ninguém acredita que tal aconteceu porque foi apadrinhado pelo Presidente da República. Por ser Presidente da Comissão Europeia? Não é possível. 
Doutor de Coimbra, a fazer fé na sua sabedoria geográfica «não se enganem, a Europa estende-se de Vigo a Varna. De Espanha à Bulgária», só se for, como se diria noutro tempo, doutor da mula ruça! 
Então, 
Por causa das suas especialíssimas concepções de democracia, bem espelhadas nas suas palavras em Junho de 2006, ainda 1º Ministro do Luxemburgo, sobre o voto não dos franceses em referendo sobre uma dita Constituição europeia e a propósito de outros votos referendários contrários à «doutrina oficial»: «Não são os dirigentes da Europa que estão avariados, são os povos»! Ou quando, a propósito do voto não do povo grego à proposta da Troika (UE, BCE e FMI) no referendo de 5 de Julho de 2015, e já como Presidente da Comissão Europeia, sintetizou todo o seu pensamento político na frase «não há democracia fora dos Tratados»!? 
Por causa da sua estranha forma de considerar e respeitar a igualdade entre todos os Estados-membros, inscrita nos ditos Tratados, quando questionado sobre se a França não estaria obrigada como outros Estados, a quem se dita, chantageia e ameaça pelo cumprimento das imposições orçamentais do Pacto de Estabilidade, tem o nunca por demais lembrado dito: «A França é a França»!? 
Por causa da sua particular atenção e zelo na aplicação de políticas ditas de austeridade, de facto de brutal agravamento e perpetuação de desigualdades e exploração, com o saque de salários e pensões, aumento da carga fiscal sobre o trabalho, degradação dos serviços públicos de saúde e educação e redução dos apoio sociais, produzindo pobreza, 
desemprego, e emigração!? Magnifico Reitor, por causa das restrições orçamentais impostas às universidades portuguesas, e também à Universidade de Coimbra!? 
Por causa da sua prodigiosa prolixidade na invenção de rumos «alternativos» para o futuro da UE: o seu «pentilema», cinco caminhos que afinal são um só, o mesmo de sempre, mais federalismo, neoliberalismo, militarismo!? Ou seja Magnífico Reitor, o laureado Honoris Causa, quer deixar este país velho a caminho de 9 séculos de história, soberano e independente, feito uma qualquer região europeia e o seu governo com a política externa, assuntos militares e defesa (a NATO tratará disso), a economia, as finanças, o orçamento, impostos e moeda, ao cuidado de um sr. Juncker qualquer, primeiro-ministro de um governo federal e simultaneamente, o que já hoje faz, vizir do chanceler alemão e capataz do grande capital europeu! 
Por causa da sua especialização em «optimização fiscal» e consequente e empenhado trabalho como 1º Ministro em transformar o seu país, o Luxemburgo, num paraíso fiscal? Assim facilitando a muitos dos grandes banqueiros e capitalistas, entre os quais os portugueses, um refúgio seguro no coração da UE, para os seus patrimónios mobiliários, para as suas fugas legais e ilegais ao fisco. Assim assegurando-lhes uma base obscura, opaca e silenciosa para as negociatas das suas holdings e offshores, em prejuízo das contas públicas, contribuintes e trabalhadores dos outros Estados-membros, onde supostamente têm sede e operam os seus bancos e grupos económicos e financeiros! Lembra-se do LuxLeak, sr. Reitor? Envolveu portugueses e continua, até hoje, invisível em denso nevoeiro! Por exemplo, só agora se soube que a NOS, desde 2014 no Luxemburgo, o usou para facturar 58 milhões a si própria, com um lucro de 10 milhões! 
Sabe, certamente, Magnífico Reitor, que uma empresa chave no ruinoso desfazer do Grupo Espírito Santo, e instrumento central na falsificação e ocultação das suas contas estava sedeada no Luxemburgo. 
Mas isto fecha o circuito. Ricardo Salgado também teve direito ao Honoris Causa!

Para todos os anticomunistas

Para todos os anticomunistas raivosos ou envenenados pelos preconceitos


COMPRENDRE OCTOBRE, 100 ans après la révolution de 1917

Jean-Christophe SELLIN




On peut critiquer le bolchevisme, ses méthodes, ou condamner tel ou tel acte. C’est une affaire de point de vue, d’opinion ou de sentiment. Sur deux points objectifs, il parait impossible de ne pas unanimement saluer les efforts du jeune gouvernement soviétique : c’est sur les droits des femmes et sur l’instruction publique.
Les droits des femmes
« Les femmes russes sont passées brusquement de l’esclavage à l’égalité absolue en matière sociale légale, civique et de traitement », ainsi Berty Albrecht, célèbre féministe franco-britannique constatait avec admiration l’une des avancées les plus universelles de la révolution russe.
Même s’il faut certainement relativiser la notion d’égalité absolue dans la réalité, du fait même de la persistance culturelle du patriarcat et des rapports de production anciens, il est clair que les femmes obtiennent immédiatement le droit de vote, le droit à l’instruction (87% sont analphabètes en 1917),
l’égalité salariale à travail égal, puis le droit à l’avortement en 1920 (que Staline fera supprimer en 1936). Le mariage civil est le seul reconnu, réduisant ainsi les pressions religieuses sur les femmes. Le divorce est facilité. Une allocation « maternité » est mise en place avec un congé de huit semaines avant et huit semaines après l’accouchement. La différence entre enfants, « légitimes » ou non, est supprimée en 1921.
Si les femmes ont ouvert la voie de la Révolution avec la première manifestation de masse le 8 mars 1917 (23 février), on doit beaucoup de ces avancées au volontarisme d’ Alexandra Kollontaï, dont nous déjà relevé qu’elle a été la première femme du monde moderne membre d’un gouvernement. « Commissaire du peuple aux affaires sociales » elle fait aussi adopter d’importantes mesures pour lutter contre la prostitution, l’aide aux mères isolées et aux milliers d’enfants abandonnés.
Le développement de l’instruction, de la culture et des sciences
La révolution russe qui ressemble par tant de côtés à notre révolution française, a repris la célèbre devise de Danton : « Après le pain, l’éducation est le premier besoin du peuple ».


En effet, en trois ans entre 1918 et 1920, la révolution d’Octobre a doublé le nombre d’écoles primaires par rapport aux nombres d’écoles existant après trente ans de tsarisme (38 387 écoles pour parvenir à 79 115 dans cette période).
Ce développement phénoménal dans l’enseignement primaire a été accompli en parallèle dans le secondaire, en combinant les enseignements généraux et polytechniques, mais aussi dans le supérieur. En 1916, le budget de l’instruction publique se montait à 195 millions de roubles. Il sera porté à 940 millions à partir de la révolution de Février. Les bolcheviks l’augmenteront à près de trois milliards de roubles en 1918 puis à dix milliards en 1919. À cela il faut ajouter une entreprise gigantesque de « liquidation de l’ignorance ».
Des milliers de centres ont été ouverts à partir du triple principe « obligation, gratuité, laïcité » Par décret, « tous les habitants de 8 à 50 ans, qui ne savent ni lire ni écrire, sont tenus d’apprendre à lire et à écrire, soit en russe, soit dans leur langue maternelle ».
Pour ce faire, le commissariat à l’instruction publique est dirigé par Lounatcharsky. Il est notamment épaulé par Kroupskaia et Lilina, femmes de Lénine et de Zinoviev ; elles sont les pilotes de cette magnifique entreprise publique pour sortir la Russie du néant.
Des milliers de centres « pour la liquidation de l’ignorance » ont été ouverts. À la fin 1920, Lounatcharsky a estimé que plus de trois millions d’illettrés ont pu apprendre les premiers éléments de leur langue.
Pour les nationalités opprimées par le tsarisme, la République des soviets a constitué des commissions de traducteurs pour créer des alphabets nationaux pour les nationalités qui étaient privées d’écriture. En 1917, seulement deux écoles formaient les institutrices et instituteurs non russes.
En 1920, elles étaient déjà trente-sept et en 1922, plus de 4 000 établissements scolaires de tous ordres pour les différents peuples non russes sont constitués dans la jeune URSS.
Au chantier de l’instruction s’ajoute le développement et la promotion des arts, des sciences et de la culture.

Os EUA , Israel e Palau


Votes aux Assemblées Générales des Nations-Unies sur la nécessité de cesser le blocus des Etats-Unis contre Cuba

AnnéeDatePourContreAbstentionPays votant contre
199224 Novembre59272Etats-Unis, Israel
19933 Novembre88457Etats-Unis, Israel, Albanie, Paraguay
199426 Octobre101248Etats-Unis, Israel
19952 Novembre117338Etats-Unis, Israel, Ouzbékistan
199612 Novembre137325Etats-Unis, Israel, Ouzbékistan
1997Octobre143317Etats-Unis, Israel, Ouzbékistan
1998Octobre157212Etats-Unis, Israel
1999Novembre15528Etats-Unis, Israel
2000Novembre16734Etats-Unis, Israel, Iles Marshall
2001Novembre16733Etats-Unis, Israel, Iles Marshall
2002Novembre17334Etats-Unis, Israel, Iles Marshall
2003Novembre17932Etats-Unis, Israel, Iles Marshall
2004Octobre17947Etats-Unis, Israel, Iles Marshall, Palau
2005Novembre18241Etats-Unis, Israel, Iles Marshall, Palau
2006Novembre18341Etats-Unis, Israel, Iles Marshall, Palau
2007Novembre18441Etats-Unis, Israel, Iles Marshall, Palau
2008Octobre18532Etats-Unis, Israel, Palau
2009Octobre18732Etats-Unis, Israel, Palau
2010Octobre18723Etats-Unis, Israel
201125 Octobre18623Etats-Unis, Israel
201213 Novembre18832Etats-Unis, Israël, Palau
201329 Octobre18823Etats-Unis, Israël
201428 Octobre18823Etats-Unis, Israël
201527 Octobre19120Etats-Unis, Israël
201626 Octobre19102
Etats-Unis, Israël
 
2017Novembre19120Etats-Unis, Israël

Os trafulhas encartados

Aqueles que deixaram o Estado na penúria, que bateram recordes históricos de quebra de investimento dizem agora que o "Estado falhou " . Pesarosos afirmam : ao estado a que o Estado chegou ...., São os mesmos que escrevem que se deveria aproveitar a situação para se fazer uma "maior consolidação orçamental" isto é uma maior descapitalização do Estado... 
Só têm um nome :trafulhas

A CIA 2



Accusée auparavant de cyberespionnage par les autorités américaines, la société russe Kaspersky Lab a confirmé les informations publiées jeudi par WikiLeaks sur la falsification de ses certificats par le renseignement américain.
Kaspersky Lab est une société privée spécialisée dans la sécurité des systèmes d'information proposant des antivirus, anti-spyware, anti-spam ainsi que d'autres outils de sécurité. Elle a été fondée par Natalya Kasperskaya et Eugène Kaspersky en 1997.

Os lacaios de Trump

 O ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol anunciou que indicou ao embaixador norte-coreano no país para abandonar a Espanha até ao final do mês. Os testes e o programa nuclear de Pyongyang são a justificação para esta decisão que já foi aplaudida pelos Estados Unidos.

9 de novembro de 2017

Os ataques acústicos de Trump


CUBA :“o tenente-coronel Estrada Portales chamou a atenção para um tema específico. Revelou que assim que foram denunciados estes fatos por parte da embaixada dos Estados Unidos, o chefe do departamento de Segurança Diplomática marcou uma entrevista com o chefe da Área de Segurança da embaixada norte-americana e ao perguntar-lhe acerca da ocorrência dos fatos, a fim de precisar dados para desenvolver a nossa investigação, aconteceu que ‘este funcionário ignorava que esses fatos estivessem ocorrendo’. E acrescentou: ‘isso é muito significativo por duas razões fundamentais: a primeira, que posteriormente esse funcionário, o dito chefe da Área de Segurança, que ignorava a ocorrência dos fatos, foi registrado como um dos atacados; e a segunda, de tanta importância como a primeira, é que ele ignorava a ocorrência dos ataques contra seus funcionários e familiares, quando sua função em Cuba é, precisamente, preservar estes funcionários e familiares’.” 

O Granma, órgão do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, divulgou nesta segunda-feira (30) uma minuciosa matéria onde relata todos os esforços das autoridades cubanas para esclarecer as acusações de Donald Trump e da máfia anti-cubana em Miami, que acusam Havana de ter perpetrado “ataques acústicos” contra diplomatas dos E.U.A .

CIA- mais uma

O Wikileaks revelou que a CIA, elaborou um código para "fingir ser " a Kaspersky Lab, com sede na Rússia.
De acordo com o comunicado de imprensa da organização dedicado aos documentos do Vault-8, "esta publicação permitirá que jornalistas de invstigação, especialistas forenses e público em geral identifiquem e compreendam melhor os componentes secretos da infraestrutura da CIA"New WikiLeaks publication reveals CIA wrote code to impersonate Kaspersky Labs anti-virus company 
https://wikileaks.org/vault8/wikileaks.org/vault8/

8 de novembro de 2017

A luta de um povo



SEGUNDO dados globais, as afetações do bloqueio económico, comercial e financeiro dos Estados Unido contra Cuba provocaram perdas ao ensino superior da ordem de US$ 1,5 milhão, só no último ano.
Esta quantia se reflete nas afetações por conceito de realocamento geográfico, dificuldades nas transferências bancárias, receitas que Cuba deixa de receber e limitações no acesso às publicações de alto impacto internacional.
Uma das consequências de maior envergadura na política estadunidense é o bloqueio tecnológico, o qual leva à procura de mercados geograficamente distantes, como o da China, para acessar à tecnologia. Isto cria um incremento, nada desprezível, dos custos por conceitos de frete.
Devido às limitações do bloqueio os pesquisadores cubanos têm limitado o acesso a mais de 200 sites. Igualmente, especialistas e profissionais de diferentes países não podem viajar à Ilha porque têm limitado seu acesso. Isto não só demonstra o caráter extraterritorial do labirinto legal, mas também dificulta a exportação de serviços e receitas de divisas no país.
Quando falamos de Educação Superior, no caso de Cuba, mantém-se a incitação à emigração e a fuga de talentos. Com esta prática se perde o esforço de vários anos realizado na formação de um profissional e o país é privado de seus melhores especialistas.
Além dos danos mencionados, a produção e os serviços são muito limitados pelos escolhos para acessar a determinados produtos, que atentam contra o desenvolvimento da docência.
Relativamente ao tema das afetações da criminal política do governo estadunidense contra Cuba, a diretora das Relações Internacionais do Ministério de Educação Superior, María Victoria Villavicencio, declarou:
«Muitas das afetações que hoje são provocadas pelo bloqueio impedem um número importante de possibilidades de avanço e significativas tentativas de desenvolvimento».
«Para nós não há dúvidas: o bloqueio é o principal escolho para o desenvolvimento tecnológico, científico e investigativo de nosso país».
À DISTÂNCIA DE UM CLIQUE 
No caso da Universidade das Ciências Informáticas (UCI), o bloqueio fica à distância de um clique. A casa de altos estudos neste ano identificou 209 sites que são públicos para o mundo, mas estão bloqueados para as direções IP desta instituição. No relatório de 2016 havia 116.
Da mesma forma, a instituição não pôde acessar a certificações profissionais, que são necessárias para a preparação e desenvolvimento de softwares.
A Universidade Agrária de Havana também sofre o impacto da política genocida dos Estados Unidos. Sua revista de ciências técnicas agropecuárias deve ter um identificador digital para cada artigo emitido, mas para Cuba é impossível devido aos efeitos do bloqueio.
Também nesta academia são afetadas consideravelmente as práticas docentes e a pesquisa científica, que são realizadas nos laboratórios, particularmente nas carreiras agropecuárias.
Atualmente, não é possível adquirir equipamentos para os laboratórios, nem reagentes ou meios de cultura, procedentes de firmas norte-americanas. Isto provoca o encarecimento extraordinário de todo o equipamento.
LIMITAÇÃO DAS RECEITAS 
O Centro Nacional de Sanidade Agropecuária, entre suas variantes para dar continuidade ao desenvolvimento científico, conta com as receitas que recebe pela exportação de produtos.
A partir de 2015 foi limitada significativamente a possibilidade de transferir da Nicarágua os fundos derivados das negociações com instituições desse país, devido à transferência tecnológica. Trata-se de perdas estimadas em quase US$ 50 mil.
Examinado de outra perspectiva, isto provoca falta de suficiente liquidez para que a instituição continue com sua missão fundamental: garantir o diagnóstico, controle e prevenção de doenças exóticas que afetam animais e objetivos de interesse econômico da Ilha maior das Antilhas.
Nestes últimos tempos, por causa do bloqueio, dificulta-se substancialmente a participação de cientistas cubanos em congressos internacionais. Estes encontros representam uma possibilidade de mostrar os resultados de nosso país no campo das Ciências Agropecuárias e trocar com especialistas de primeiro nível de outros países.
A UNIVERSIDADE DE HAVANA
As afetações financeiras, econômicas, bem como as barreiras tecnológicas para obter qualquer artigo essencial para a educação, afetam também a Universidade de Havana, a mais antiga destas instituições em Cuba.
As faculdades de Química, Física, Biologia e os centros de pesquisas ficam limitados. Além do equipamento precisam dos reagentes, mas devido ao bloqueio não é possível sua aquisição ou não têm financiamento para pagá-los.
Estas dificuldades nos pagamentos entorpecem as visitas e as trocas. As medidas contra Cuba anunciadas pela administração de Donald Trump podem reduzir enormemente a troca acadêmica e as visitas de estudantes, professores e pesquisadores do país do norte.
Apesar de todas estas dificuldades, a vontade política do governo cubano de elevar a qualidade da Educação Superior foi mantida em todos estes anos de Revolução, igualmente o compromisso dos estudantes e professores universitários.
«Se hoje as afetações não são maiores — assevera María Victoria Villavicencio — é porque contamos com um número importante de professores e pesquisadores com uma criatividade incrível, com muito profissionalismo e amor ao seu trabalho; com um compromisso enorme com as instituições, com nosso país, além de inventar fórmulas e inovar de modo que possam mitigar, de alguma maneira, os efeitos do bloqueio».

7 de novembro de 2017

O Estado mínimo


As virtudes do Estado Mínimo
Legionela
1)  Depois de anunciadas mortes no hospital S. Francisco Xavier , A. Cristas apareceu na comunicação social para dizer que o Ministro da Saúde deve tranquilizar os portugueses sendo forçada a declarar que admitia aprovar uma lei que revogou sobre inspecções periódicas . O PSD que deixou o Estado na penúria diz que este é mais um caso de falhanço do Estado . Não têm nem uma pinta de vergonha.


Uma revolução a quem a humanidade e o povo português muito devem .

2) Multiplicaram se as publicações e declarações  reaccionárias diabolizando a grande Revolução de Outubro , prova que está viva nos corações de milhões de trabalhadores e que continua a inquietar o grande capital e os seus serviçais.

No centenário da revolução partidos comunistas proclamam: “Esta não é uma festa do passado, mas do presente. Seguimos lutando pelo socialismo, pela causa de Lénin e de Outubro de 1917”.


6 de novembro de 2017

Viva a Grande Revolução de Outubro !




SINOPSE
A antologia de textos escritos por Álvaro Cunhal, A Revolução de Outubro, Lénine e a URSS, está organizada tematicamente e traz textos escritos ao longo de mais de seis décadas, dando ao leitor a capacidade de acompanhar a evolução dos acontecimentos, em Portugal, na URSS e no mundo. Em todos os textos se verifica a mesma certeza e a mesma confiança: «o futuro pertence, não ao capitalismo, mas ao socialismo e ao comunismo».-----------------------------------------------------------------
Lénin: “As revoluções são as festas dos oprimidos e dos explorados”.
---------------------------------------------------------------------------------

 Domenico Losurdo.

“Duas epidemias assolaram o mundo em 1918. Uma foi a influenza espanhola […] A outra epidemia foi o bolchevismo, que por determinado período pareceu quase tão contagioso quanto e no final das contas se provou tão letal quanto a influenza.”
(Niall Ferguson, The War of the World, pp. 115-5).
Assim nos fala o mais bem sucedido historiador ocidental de nosso tempo, para quem a Revolução de Outubro evidentemente não passa de um capítulo na história de loucura (e de loucura criminosa, diga-se). E no entanto essa mesma revolução pôs fim ao monstruoso “genocídio” [Völkermord] tão memoravelmente denunciado por Rosa Luxemburgo, essa mesma revolução forçou o fim do que Bukharin chamou de uma “sombria fábrica de cadáveres”.
A Primeira Guerra Mundial foi uma carnificina total em que até mesmo pessoas completamente alheias ao conflito foram obrigadas a participar. Conforme observou o respeitado historiador britânico A. J. P. Taylor, “cerca de 50 milhões de africanos e 150 milhões de indianos foram envolvidos, sem consulta, em uma guerra a respeito da qual não compreendiam nada”. Foram simplesmente recolhidos pelo governo londrino e deportados a milhares de quilômetros de distância, para serem conduzidos a uma “sombria fábrica de cadáveres” que agora operava a pleno vapor na Europa. Foram levados lá como membros de uma “raça inferior”, que uma “raça superior” podia em boa consciência sacrificar como bucha de canhão (ver Guerra e revolução: o mundo um século após Outubro de 1917, pp.176-7, 309 e 168).
E, no entanto para Ferguson, e para a ideologia hegemônica hoje, não há dúvida: a dominação colonial e o banho de sangue da guerra mundial são sinônimos de normalidade, ou mesmo de sanidade psicológica, enquanto que a Revolução de Outubro – oposta a tudo isso – representa uma epidemia, a disseminação da loucura.
Quando afinal teria atacado primeiro essa doença revolucionária? De acordo com outro dos mais aclamados historiadores da corte por parte do ocidente liberal e capitalista, Richard Pipes, o Outubro Bolchevique não passou da conclusão do ruinoso ciclo histórico que iniciou na Rússia com a Revolução de 1905. Outros expoentes do revisionismo histórico vão ainda mais longe, afirmando que, no ocidente, o vírus revolucionário e essa epidemia toda começou a encolerizar-se já em meados do século XIX, com a publicação do Manifesto Comunista, ou ainda antes, com a disseminação da filosofia das luzes que deu origem revolução jacobina (prólogo à Revolução Bolchevique).
A essa altura, tudo fica evidente: tanto para os revisionistas históricos quanto para a ideologia dominante, equaciona-se saúde espiritual e mental com estabilidade do ancien régime. No conjunto, esse último foi caracterizado por uma hierarquia social e racial, caracterizado nas colônias pela expropriação, deportação e dizimação dos nativos. Esse é o mundo que a Revolução de Outubro teve o grande mérito de mergulhar em crise. Se o apelo de Lênin aos “escravos coloniais” para que rompessem seus grilhões inspirou e estimulou a revolução anticolonial mundial, outros slogans ainda estão para serem realizados. Talvez eles devessem ser repensados hoje, tendo em vista realizar sua plena efetividade.
***