Linha de separação


21 de março de 2019

O funcionário do BCE

A pseudo independência do Banco de Portugal .
O Banco de Portugal acusa o Ministério das Finanças de o querer controlar. É esta a leitura que a instituição liderada por Carlos Costa faz da clarificação, que consta da reforma da supervisão, de que o banco está sujeito às ações da Inspeção-geral de Finanças (IGF).É capaz de ter razão. Mas antes isso que uma falsa independência como se viu com o Governo Passos /Portas. A Albuquerque era quem mandava no Carlos Costa que se tornou num funcionário do BCE

20 de março de 2019

O império e o sucessor de Junker

Por detrás do Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, está seu antigo diretor de campanha e atual diretor de gabinete, o jurista flamengo Martin Selmayr. É ele quem exerce a realidade do Poder, notoriamente estando seu patrão gravemente doente.
Selmayr é membro do Partido Democrata Cristão flamengo e consta ser o homem de Washington na Comissão. Ele está promovendo, agora, a candidatura de Manfred Weber (foto), o líder da União Pan-Europeia da Baviera, à presidência da Comissão em Maio de 2019.
Weber foi investido em 80% pelo grupo do Partido Popular Europeu, do qual o Partido Democrata-Cristão flamengo de Martin Selmayr é membro.
Manfred Weber considera prioritário bloquear a construção do gasoduto russo Nord Stream 2. Essa decisão, se tomada, forçaria a União Europeia a se fornecer em energia a um custo mais alto, mas junto dos Estados Unidos.

A politica energética do Imperio

 O Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, o qual foi, ele mesmo, antigo dirigente da empresa de equipamento petrolífero Sentry International, pediu a ajuda dos seus antigos colegas para pôr em marcha a sua nova política energética. A sua démarche acontece quando os Estados Unidos se tornaram, em onze anos, o primeiro produtor mundial de hidrocarbonetos do mundo, à frente da Arábia Saudita e da Rússia, graças ao petróleo e ao gás de xisto.
Falando perante a CERAWeek em Houston, a 12 de Março de 2019 [1], ele lembrou 
- ter lançado sanções contra o Irão a fim de o interditar de exportar hidrocarbonetos;  
- outras contra a Venezuela, que deverão excluí-la provisoriamente do mercado mundial; 
- e manter o seu Exército no Leste da Síria para a impedir de explorar os seus recursos.
Nesse contexto, o Departamento de Estado espera que a produção dos EUA possa substituir-se na União Europeia à da Rússia e na Ásia à do Irão. Assim, ele estabeleceu um gabinete de Recursos Energéticos dirigido por Francis Fannon.
Agora, os Estados Unidos pressionam a UE para que abandone o projecto Nord Stream 2 [2], e a Opep + para que cesse de reduzir a sua produção de maneira a deixar uma margem de manobra aos países importadores. Simultaneamente, encorajam os países consumidores a dotar-se de novos portos permitindo acolher os petroleiros e navios-tanque de gás dos EUA, em vez de depender dos oleodutos russos.
Esta política deverá acompanhar-se de esforços para reduzir a procura nos Estados Unidos.

Uma leitura a não perder

Maurice Lemoine est journaliste et écrivain, spécialiste de l’Amérique latine. Il  a publie le 15 mars Venezuela, chronique d’une déstabilisation, un livre dans lequel il bat en brèche la vision manichéenne de la crise vénézuélienne.  Il décrypte la façon dont comment l’administration Trump manœuvre depuis deux ans pour tenter de renverser le président Nicolas Maduro

O que os jornalistas "esquecem "
En 2002, il y a eu la tentative de coup d’État contre Chavez. En 2004, Aristide était renversé en Haïti avec l’aide des États-Unis et de la France. En 2008, il y a eu la tentative de renversement d’Evo Morales en Bolivie. En 2009, Manuel Zelaya a été renversé au Honduras. En 2010, il y a eu une tentative contre Rafael Correa en Équateur et en 2012 c’était la destitution de Fernando Lugo au Paraguay. C’est une lutte globale des États-Unis pour éliminer les dirigeants de gauche.
Largement traitée par des médias presque totalement acquis à l’opposition, la grave crise que traverse le Venezuela comporte une dimension systématiquement passée sous silence : comme en son temps le Chili de Salvador Allende, le Venezuela fait face à une sournoise mais féroce déstabilisation. Il possède trop de pétrole et trop de richesses minérales pour laisser Washington indifférent

Trump ordena e o PE obedece

O “partido americano” nas instituições da União Europeia

O Parlamento Europeu acaba de adoptar uma resolução para que a União cesse de considerar a Rússia como um parceiro estratégico, mas mais como uma inimiga da Humanidade. Ao mesmo tempo, a Comissão adverte contra a ameaça chinesa. Tudo se passa como se os Estados Unidos manobrassem a União para fazê-la entrar na sua estratégia de supremacia
Rússia já não pode ser considerada um parceiro estratégico e a União Europeia deve estar pronta para impor-lhe novas sanções se ela continuar a violar o Direito Internacional”: esta é a resolução aprovada pelo Parlamento Europeu, em 12 de Março, com 402 votos a favor, 163 contra e 89 abstenções [1].
A resolução, apresentada pela deputada letã, Sandra Kalniete, nega principalmente a legitimidade das eleições presidenciais na Rússia, defenindo-as como “não democráticas”, apresentando assim o Presidente Putin como um usurpador.
- Acusa a Rússia não só de “violar a integridade territorial da Ucrânia e da Geórgia”, mas de “intervir na Síria e interferir em países como a Líbia” e, na Europa, de “interferir com o objectivo de influenciar as eleições e aumentar as tensões”.
- Acusa a Rússia de "violar acordos de controlo de armas", atribuindo-lhe a responsabilidade de ter prejudicado o Tratado INF.
- Acusa-a, também, de “extensas violações dos Direitos Humanos dentro dela, incluindo tortura e execuções extrajudiciais”, e de “assassinos cometidos pelos seus agentes, com armas químicas, em solo europeu”.
No final destas e de outras acusações, o Parlamento Europeu declara que o Nord Stream 2, o gasoducto destinado a duplicar o fornecimento de gás russo à Alemanha, através do Mar Báltico, “deve ser interrompido porque aumenta a dependência da UE do fornecimento de gás russo, ameaçando o seu mercado interno e os seus interesses estratégicos”.
A resolução do Parlamento Europeu repete fielmente, não apenas no conteúdo, mas usando as mesmas palavras, as acusações que USA e NATO fazem à Rússia. E, o mais importante, repete fielmente o pedido para bloquear o Nord Stream 2: objectivo da estratégia de Washington visando reduzir o fornecimento de energia da Rússia à União Europeia e substituí-la com o proveniente dos Estados Unidos ou mesmo, de empresas americanas.

19 de março de 2019

Les banquiers centraux sont des magiciens

Un spectre hante les banquiers centraux qui n’en parlent jamais, celui de la « japonisation » qui pourrait les atteindre ; le risque de tomber à leur tour dans le « piège à liquidité », prédit par Keynes, d’où la Banque du Japon ne parvient toujours pas à sortir en dépit de ses tentatives sans fin et sans résultat de relance de l’inflation.

A França move-se

Tenir le terrain, marquer sa présence, à défaut d’avoir réussi à imposer une véritable dynamique et à peser sur le débat politique du moment. Ce mardi 19 mars, les syndicats CGT, FO, Solidaires et FSU, accompagnés par les organisations de jeunesse Unef et UNL, ont défilé dans 150 villes de France
Après le grand débat, les manifestants attendent «des réponses»
Déterminés à ne pas se faire oublier par le pouvoir, les syndicats, hormis la CFDT, avaient appelé à défiler partout en
France. Leurs troupes ont répondu à l'appel. Visés par une profonde réforme dans les mois à venir, les agents de la fonction publique étaient les plus mobilisés. Parmi eux, les enseignants étaient particulièrement remontés