Linha de separação


25 de abril de 2017

Teresa de Sousa e o sabonete


O Público nos seus alertas diz-nos que a grande pensadora Teresa de Sousa tem um artigo sobre a França . A coisa promete.
Lemos . Que frescura ! Que agudeza ! Que profundidade ! Que originalidade !
É certo que continua embebecida( estado de êxtase ) pelo seu  Macron , mas a suas teses sobre Mélanchon são brilhantes e inéditas.
Diz :" Foi penoso mas muito significativo ver Mélenchon retorcer-se para reconhecer a vitória de Macron, culpar os jornalistas , os juizes e a grande finança pelo seu desaire---"
Desaire : vergonha, vexame,  faz perder o garbo, diz o dicionário. Nada menos .
Teresa tem  toda a razão.  O resultado  de Mélenchon foi uma vergonha , tanto mais que teve a isenção da comunicação dominante , nenhuma campanha de diabolização e , tal como Macron , o financiamento da sua campanha pela " grande finança "...
Teresa cintilante acrescenta com originalidade que entre a esquerda radical de Mélenchon e a  extrema direita de Marine a " única exepção é quanto aos imigrantes."
Pois é .
Mélanchon devia ter estado de acordo com o bombardeamento da Síria por Trump , estar de acordo com Merkel e Schauble , defender o livre cambismo , o neo liberalismo e o federalismo como faz a esquerda moderna  tal como o fizeram esses grandes socialistas franceses , Hollande , Valls e outros...com os resultados que são conhecidos .
Não gastarei mais cera com tal ...escriba

França - Uma opinião

A vitória do sabonete Rothschild

La victoire volée du morveux de chez Rothschild


Lancé sur le marché comme une savonnette, le bébé Cadum de la finance s’installera à l’Elysée le 7 mai. Certes, Macron est vainqueur, mais il a emporté la mise au terme d’une campagne qui a pulvérisé les records de médiocrité et de partialité. Adoubé par le capital transnational, le morveux de chez Rothschild a gagné un match truqué. Si Macron a gagné dimanche, c’est parce que neuf milliardaires contrôlent la presse française, que Macron est leur candidat et que ces rapaces décident à notre place.
Durant la campagne, la fabrique du consentement a tourné à plein régime, elle a fait la “journée des trois 8” ! Des cajôleries de Bourdin aux mensonges du “Monde” en passant par la servilité des hétaïres sur le retour de Bfm/Tv, la caste journalistique a justifié ses émoluments en passant consciencieusement la serpillière pour le commis de l’oligarchie. Propulsé au firmament cathodique, le jeune banquier rompu au marketing a vendu son rêve de pacotille, proposant aux gogos, par exemple, de faire de la France une “start-up nation” où chaque Français pourrait monter sa “start-up”.

Não têm emenda

A RTP ao anunciar ontem os resultados das eleições francesas : Mélanchon não foi além dos 19.5 %
Não foi além....
Ultrapassou as previsões das sondagens , teve um resultado histórico  , mas para a RTP  não foi além...Isto da mesma RTP que no primeiro debate a cinco conseguiu a proeza de o omitir . O debate foi com cinco mas a representante da RTP em Paris só falou de quatro. Pluralismo vesgo !
A todos eles : 25 de abril sempre !

23 de abril de 2017

Cooperação nuclear

Tirando argumentos  a futuras provocações de Trump e dos sionistas em Israel 

a China e o Irão assinaram o primeiro contrato comercial para a reconstrução do reator de água pesada na cidade iraniana de Arak, 

A cerimónia oficial de celebração do acordo  realizou-se   hoje  domingo (23) em Viena. A Chancelaria chinesa comunicou que as empresas de ambos os países já tinham rubricado o contrato em Pequim, enquanto a assinatura final do documento ocorreu hoje, informa a Xinhua.
O presidente iraniano Hassan Rohani já tinha afirmado que o reator nuclear de água pesada na cidade de Arak será um reator moderno de pesquisa, que corresponde aos padrões mais elevados e exigentes no mundo.
A reconfiguração do reator em Arak vai decorrer no âmbito da realização do Plano de Ação Conjunto Global sobre o programa nuclear iraniano. O reator será equipado de modo a não permitir a produção de plutônio militar.
O facto de a assinatura  do contrato se ter realizado na Austria também tem significado .

Ao Correr da pena

1) Espanto , surpresa das surpresas !

Hoje no Público Teresa de Sousa num artigo sobre as eleições franceses mostra , sem o afirmar directamente que se votasse em França votava Macron ! 
Por esta é que ninguém esperava .
E diz -nos também que Walfgang Schauble
" recomendou o voto no mesmo candidato independente "
Lamenta que " Manuel Valls- " o rosto da ala moderada e reformista dos socialistas franceses " nem sequer tenha conseguido ganhar as primárias...Uns ingratos . 
Sempre surpreendente esta Teresa de Sousa.

2) Um banqueiro de aviário

Faria de Oliveira um ex ministro Cavaquista que foi como PSD administrador da Siderurgia Nacional; Chefe do departamento das exportações da Sorefame ; presidente do Conselho de Administração e CEO da Caixa  Geral de Depósitos de janeiro de 2008 a julho de 2011 e um dos responsáveis pela situação da Caixa afirmou na TSF , como banqueiro "experiente " que não está nada preocupado com a  "espanholização da banca " . Mas por que havia ele de estar preocupado... 
Também se mostra confiante na recuperação do sector . Pudera !
 Com as comissões , benefícios fiscais , Fundo de Resolução , Impostos diferidos...ajudas do BCE  o sector tem obrigação de recuperar ...   a  não ser que rebente nova crise .

3) Um novo negacionismo
Nas diversas entrevistas sobre o negacionismo , a propósito da Judaica que abre com um filme sobre o negacionismo do Holocausto , os entrevistados falam naturalmente dos Judeus . Mencionam os ciganos e homossexuais e quase sempre omitem os comunistas . Ontem numa entrevista na rádio ainda ouvi mencionar   os comunistas , ao fim da frase quase em sussurro . Depois desapareceram.... Um novo negacionismo?
   

22 de abril de 2017

Terrorismo no 25 de Abril

Os grandes senhores do dinheiro e dos privilégios, suportes do regime fascista sempre conspiraram desde a primeira hora e tudo fizeram para reverter o 25 de Abril
Os capangas que incendiaram o pais , no chamado verão quente  a soldo do grande capital e com o apoio dos serviços secretos de vários países são denominados   bombistas e nunca terroristas !
Os governos que invadiram o Iraque  , que destruíram a Líbia , e que bombardeiam o Yeman e a Síria  não praticam  Terrorismo de Estado , não senhor . Foram acções em defesa dos direitos humanos !
Este pequeno introito para lembrar aos que já apagaram da memória os acontecimentos do verão quente , ou aos que não viveram estes trágicos acontecimentos que por cá também passamos por estas mistificações e reescritas da história e que muitos daqueles que ainda hoje batem com a mão no peito  hipocritamente em de defesa dos direitos do homem , na Síria , na Ucrânia , no Líbano , na Venezuela ..., são os mesmos que directa ou indirectamente estiveram por detrás do terrorismo do verão quente.
Deixamos aqui uma entrevista e um vídeo .

https://www.youtube.com/watch?v=ryFh8TzLIak



Quando Portugal ardeu
Entrevista com Miguel Carvalho 

Por Nuno Ramos de Almeida

Vivemos em democracia, mas também vivemos numa mentira. A nossa memória histórica foi amputada de muito do que se passou. O jornalista Miguel Carvalho escreve um livro, Quando Portugal ardeu [1] , em que se resgata parte da história de Portugal. Nestas quase 600 páginas ficamos a saber que nos venderam um conto de fadas em que os maus vermelhos e totalitários foram derrotados por um grupo de pacíficos democratas impolutos e respeitadores da liberdade. Por baixo do tapete ficaram escondidos anos de terror e mais de 560 ataques da "rede bombista", que aterrorizaram os militantes pró-revolução e mataram muita gente. 

Depois de escrever este livro, acha que vai ter problemas? 

(Risos) Confesso que tenho pensado bastante nisso, pelo seguinte: uma das pessoas com quem eu tentei falar para este livro foi Ramiro Moreira. Recusou. Eu não fiz o contacto direto com ele, usei uma cunha de uma pessoa muito próxima dele, e ele, quando ouviu falar do meu nome, disse: "Eu não falo com esse filho da puta." Ele tinha-me processado há uns anos por causa do Apito Dourado, por eu ter referido num texto as suas ligações ao Valentim Loureiro. E processou-me, não por eu ter feito referência a esse negócio, mas por lhe ter chamado bombista. Obviamente, acedi a muita documentação sobre ele, cartas pessoais e elementos dos processos, mas queria falar com ele. 

Uma medalha merecida

https://theintercept.com/2017/04/14/trumps-cia-director-pompeo-targeting-wikileaks-explicitly-threatens-speech-and-press-freedoms/

A CIA oferece medalha à Arabia Saudita :
“In a press statement to the Saudi Press Agency (SPA), following the reception, the Crown Prince expressed appreciation of the CIA for bestowing on him such a grace, laying assertion that this medal is a fruit of endeavors and instructions of the leaders of the kingdom, notably the Custodian of the Two Holy Mosques King Salman bin Abdulaziz Al Saud, bravery of security men and cooperation of all walks of the community to combat terrorism.”
------
Versão em Francês :
Le compte-rendu de cette cérémonie de remise Pompeo /Saoudienne fut mentionnée  pour la première foispar l’Agence officielle de presse saoudienne, qui a publié les photographies ci-dessus, et qui s’est exaltée : « Dans un communiqué de presse à l’Agence de presse saoudienne (SPA), après la réception, le prince héritier a exprimé sa reconnaissance à la CIA pour lui accorder une telle grâce, affirmant que cette médaille est le fruit d’efforts et d’instructions des chefs du royaume, notamment le Député des Deux-Saintes Mosquées, le roi Salman bin Abdulaziz Al Saud, la bravoure des hommes de sécurité et la coopération de tous les secteurs de la communauté pour lutter contre le terrorisme ».
Ensuite, il y a le lieu choisi par Pompeo : le Centre d’études stratégiques et internationales (acronyme anglais : CSIS). Comme l’a signalé le New York Times en 2014, le CSIS - comme tant de groupes de réflexion les plus prestigieux de la Capitale - est lui-même financé par des dictateurs.
En particulier, les Émirats Arabes Unis sont devenus « un soutien majeur » du groupe, après avoir « discrètement fourni un don de plus d’un million de dollars pour aider à construire le nouveau siège de verre et d’acier du centre, non loin de la Maison Blanche. » Parmi les autres donateurs on trouve les régimes de l’Arabie saoudite, de la Turquie et du Kazakhstan. En retour, les responsables des EAU sont reçus au CSIS comme de grands hommes d’État.