Linha de separação


17 de março de 2013

Chipre

A amplitude das repercussões da quebra de garantia dos depósitos num país da U.E. é ainda desconhecida. Se os depósitos não estão garantidos seja qual for o seu montante então a partir deste precedente as fugas de capitais tenderão a aumentar designadamente nos países ditos assistidos , mas também em Espanha e em Itália .
Vários analistas consideram inaceitável que a  dita taxa atinja os pequenos depositantes e as pequenas empresas e se , na lógica da decisão uma taxa de 10 %  não seja cara para os que lavaram dinheiro em Chipre - máfias russas e não só- a verdade é que  o arrastamento em resolver o problema  deu tempo às máfias e aos grandes depositantes para retirarem as massas ... Mais uma vez vão ser os contribuintes Cipriotas e os pequenos depositantes a pagar a factura. Aguardemos o debate no Parlamento Europeu e Cipriota e aguardemos a onda de choque noutros países ... por mais que digam que este é um caso único!

1 comentário:

Rogério Pereira disse...

Um dominó é um somatório de pedras isoladas... não há uma só que não se destinga de outra... o efeito é uma coisa conhecida e que não tem a ver essa identidade, mas com a regra que liga pedra a pedra.