Linha de separação


5 de fevereiro de 2011

Cimeira Europeia - notas breves

1)Mais uma vez ficou claro que a União Europeia tem um Directório de Grandes potências,que se reunem préviamente para imporem medidas acordadas entre si, fazendo dos restantes países, membros de segunda.
2)Mais uma vez vimos dois "palhaços portugueses",um na Comissão a dizer que avançar para mais federalismo é o caminho e outro a considerar como facto histórico positivo uma Cimeira em que é proposto , mais alienação de soberaniae mais submissão.São os mesmos do - foi porreiro pá- e os seguidores dos que também consideraram históricamente positivo a "Agenda de Lisboa" que tornaria a U.E. em 2010 o espaço mais avançado no conhecimento, no desenvolvimento na competitividade e no emprego....
3)Nas propostas o desgastado "Pacto de estabilidade e crescimento", passaria a chamar- se de Convergência ,leia -se,de convergência de políticas ditadas pelo Directório, a competitividade continuaria a repousar sobre os slários,acabando-se com maus exemplos como a indexação dos salários á taxa de inflaçao que vigora na Bélgica, Luxemburgoe Austria e a idade da reforma passaria para os 67 anos ...
4)Medidas concretas para acabar com a especulação sobre as dívidas públicas nada.Este debate ficará para Março, para depois de umas importantes eleições alemãs.
Merkel manda e os submissos, para não chamar lacaios, obedecem ...Mais um facto histórico

3 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Gostei de ler e concordo com o que li.

Um abraço.

Sem disse...

Esses dois palhaços e mais alguns, com idêntico tamanho de nariz, não pertencem também a um directório de grandes interesses mas à escala portuguesinha?

Ricardo disse...

... E claro está, em paralelo desenvolve-se uma forte campanha a defender que a solução para a crise social passa pela «exportação» de quadros qualificados para a Alemanha, a preços de saldos, pois com a imposição da flexigurança à escala europeia os direitos (preço) desta «mercadoria» serão os existentes em Portugal (e Espanha) e não os alemães...
É a famosa mobilidade europeia!